VERDADE QUE LIBERTA

VERDADE  QUE LIBERTA
Não há como deter a VERDADE!!!

segunda-feira, 14 de julho de 2014

CONHEÇA A VERDADE E SEJA LIBERTO !!!!

sábado, 5 de julho de 2014

Prossiga para o Alvo... Siga o Propósito da sua Vocação!


“... Prossigo para o alvo, para o prêmio...” – Filipenses 3:14 NKJV





 Albert Schweitzer disse: “O sucesso não é a chave da felicidade, a felicidade é a chave do sucesso. Se você ama o que faz, terá êxito”. Quando você se sente apaixonado por algo e se permite persegui-lo, você se posiciona para ter êxito na vida. A maioria das pessoas no mundo não segue a sua paixão; o resultado é que elas ficam frustradas e infelizes. E você pode perceber isso pela maneira como elas vivem suas vidas. O editor Malcolm Forbes disse: “O maior erro que as pessoas cometem na vida é não tentar ganhar a vida com o que gostam”. O resultado é que elas simplesmente toleram a sua vida profissional em vez de extrair o máximo dela. Elas vivem para os finais de semana. Tentam aguentar as pontas até à aposentadoria. Isso é uma pena, porque a sua chance de sucesso é diretamente proporcional ao grau de prazer que você tem naquilo que faz. Tommy Lasorda, técnico do time de beisebol Dodgers, de Los Angeles, disse: “O melhor dia da minha vida é quando estou à frente do time em um jogo que vencemos. E o segundo melhor dia da minha vida é quando estou à frente do time em um jogo que perdemos”. Em outras palavras, todos os dias em que ele estava envolvido em um jogo era um dia no qual ele estava vivendo o seu sonho. E você? Os sonhos se tornam realidade quando os dons são incendiados pela paixão. O melhor conselho vocacional é descobrir qual é a paixão que Deus lhe deu e segui-la. Logan Pearsall Smith disse: “Há duas coisas a serem almejadas na vida; primeiro, conseguir o que você quer; e depois disso, desfrutá-lo. Só os seres humanos mais sábios alcançam o segundo”. Portanto, prossiga para o alvo, para o prêmio.


Extraido de : http://www.palavraparahoje.com.br/index.php?page=devocionais.php

quarta-feira, 18 de junho de 2014

“Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é negá-la.” –  Tomás de Aquino

sábado, 31 de maio de 2014

 Eu,Tu,Ele, Nós, Vós, Eles...
Fazemos nossas escolhas, criamos nossas doutrinas, construímos nossos muros, fabricamos nossas armas, arquitetamos as nossas mais criativas desculpas, para viver as nossas vidas,enfim somos movidos por nossa conveniência.
A conveniência está no Ser,faz parte da vida,mas quando ela é instrumento do egoismo e da obstinação é que se torna um grande problema.
Por causa da conveniência fingimos sermos Santos, dissimulamos, dizemos ''Eu te amo'' sem sequer olhar nos olhos, pregamos o que não vivemos, vivemos escondendo o jogo, cometemos nossas arbitrariedades por baixo dos panos,pois afinal, ninguém está vendo mesmo, enfim por conveniência se mata, se compra muito, se vende o carater, se negociam valores...
Conveniência é o mal do Século, é a causa da violência, do descaso, da corrupção, da indiferença, da frieza e do caos em que nos encontramos.
Hoje quero convidar a quem leu até aqui, a fazer uma reflexão sobre o que nos move realmente?
Na certeza de que "de Deus não se zomba, tudo que o homem plantar isso também colherá" Galatas 6:7
Não se trata de uma Lição de moral pois não tenho condições de ditar normas ou ser padrão para ninguém, mas é exatamente por isso que trago essa mensagem, pois quando um ou mais de um se unem num propósito fica mais fácil se alcançar o objetivo.
Não são os protestos , as manifestações na rua, as eleições que mudarão o destino da nação, mas sim o conhecimento da Verdade que liberta do egoísmo conveniente, da soberba, ''cada um por si'', entre outras escolhas que cegam ,esfriam e embrutecem o Ser chamado humano!


Acordei disposto a melhorar e se você sentiu que também pode mudar, Vem comigo!

quarta-feira, 14 de maio de 2014

O Perigo de Correr Atrás do Poder


“... O homem humilde... retém a honra”. Provérbios 29:23 NKJV 

Bob e Debby Gass




A primeira mentira que Satanás disse a Adão e Eva foi um apelo

direto ao ego de todos nós:
“... vocês serão como Deus..(Gn 3:5NRS).
A velha e astuta serpente abriu a cortina para a sala do trono

no Céu e deu aos nossos primeiros pais um vislumbre do poder e

da glória, e eles foram fisgados.
E nós fomos fisgados desde então!

Se você já passou algum tempo na companhia de alpinistas sociais

e pessoas que gostam de mostrar como são importantes, você

percebe que a natureza humana não mudou muito. O importante

ainda é estar no topo! Já que, como dizem alguns, boas maneiras

podem levar você onde o simples fato de ter dinheiro não pode

levá-lo, você pode querer ter aulas de “boas maneiras à mesa”, o

que vai garantir a você uma condição de poder ainda maior. Coisas

como nunca entregar o seu prato ao garçom e nunca se abaixar

para pegar um talher que caiu. Na verdade, para garantir sua

posição na escada que leva à ascensão social, uma regra crucial é

nunca se curvar de jeito nenhum! Nem mesmo para ajudar a

atender às necessidades das pessoas, nem para admitir seus erros

ou para dar algo àqueles que não podem lhe pagar de volta. A

busca pelo poder faz você pensar que é melhor do que os outros

e o impede de servir a eles. Isso o torna suscetível à bajulação

e resistente ao conselho honesto, levando ao isolamento e a

não querer prestar contas a ninguém. Você pode perceber isso

todos os dias em pequenas coisas, como quando não elogia seus

subordinados para que eles “não se esqueçam do seu lugar” ou

quando se recusa a ser amoroso e cortês com o seu cônjuge para

não perder a sua arma mais poderosa — o controle. Isso fica claro

também quando você coloca a ambição na frente da integridade;

como quando priva alguém da intimidade para puni-lo e manipulá-

lo. Esses jogos de poder destinam-se a fazer com que você consiga

o que quer à custa das pessoas. É por isso que a Bíblia adverte:

“O orgulho do homem o abaterá, mas o homem humilde... retém a

honra.”

 Extraído de PPH UCB

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Porque Pecamos?


"Porque pecamos?"
Deus me mostrou através de uma publicação do Diácono Joalsemar Araújo do Projeto Vida nova de Irajá(Prof.do Seminário Vida Nova) Uma definição ungida e inspirada por Deus,que muito me falou ao coração e me pôs de pé.
Leia e receba o recado de Deus:Nós pecamos porque somos pecadores ou somos pecadores porque pecamos? A Teologia, através da disciplina Hamartiologia (o estudo sobre o pecado; do grego hamartia = pecado e logia=estudo), vem debatendo ao longo dos séculos esta questão. A Bíblia responde: "... todos estão debaixo do pecado. Como está escrito: não há um justo, nenhum sequer (...) pois todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus", Romanos 3.9,10,23. "Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim a morte passou para todos os homens, porque todos pecaram", Romanos 5.12.
Ou seja, pecamos porque somos pecadores. A macieira não produz maçãs por causa da educação, da política, dos pais (a famosa culpa do meio em que se vive)...e sim porque é próprio dela produzir maçãs. E assim é com cada pessoa: já nasce com a natureza corrompida pelo pecado e produz o "fruto" que lhe é próprio.
Porém, o pecado não tem a última palavra nesta história. Deus enviou seu Filho Jesus o qual morreu para nos salvar e dar-nos uma vida abundante. Em vez de fazer uma "reforma moral", apenas ditando normas de comportamento, Deus trata o problema na raiz, fazendo com que todo aquele que crê e recebe seu Filho nasça de novo, só que desta vez com uma nova natureza, a natureza divina:"Aquele que nasceu de Deus não vive na prática do pecado, porque a semente de Deus permanece nele; não pode continuar pecando porque é nascido de Deus", 1João 3.9.
O pecado na vida daquele que nasceu de Deus acontece, digamos, por "acidente": "Meus filhinhos estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, porém, alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o Justo", 1João 2.1.
E assim vamos seguindo nossa vida, cantando "caminhando eu vou para Canaã".
Vimos então porque pecamos. Vimos que podemos ter vitória sobre o pecado. E na nossa jornada cristã prosseguimos procurando errar o menos possível. Porém, hoje me faço uma pergunta. Porque nós não pecamos? Isto é, quando estamos, em alguma circunstância, diante de uma bifurcação em que temos que escolher entre a santidade e o pecado, entre o obedecer e o desobedecer, porque escolhemos a santidade? Porque escolhemos a obediência? O motivo do porquê às vezes se escolhe o pecado parece óbvio: "cedeu à carne", "não vigiou", "preferiu os prazeres", "deu brecha", "a pressão dos fatos forçaram-no", etc. Mas, e quando agimos certo? Porque agimos assim? É fruto da nossa nova natureza? Medo de ser castigado? Espera por uma recompensa? Amor a Deus? O motivo do porquê resistimos às tentações é tão importante como resisti-las. Tem se percebido algumas tendências na conduta dos crentes.
Muitas vezes não se peca por medo do Diabo. Alguns livros de Batalha Espiritual enfatizam o não pecar, pois isso pode abrir "porta de legalidade" e o Diabo pode nos destruir. Por isso, muitos não pecam, não por que isso ofende a Deus, mas por medo de isto dar legalidade ao Diabo para poder nos destruir. E se o Diabo não pudesse nos destruir? Poderíamos pecar? É evidente que o Diabo pode nos arruinar quando damos brecha, e a própria Bíblia nos diz para não darmos lugar para ele (Efésios 4.27), mas a raiz da santidade tem uma profundidade maior do que o medo do que o Diabo pode nos fazer.
Muitas vezes não se peca por medo de perder as bênçãos. O capítulo 28 de Deuteronômio nos ensina que a obediência tem como conseqüência a benção e a desobediência a maldição. Embora isso seja verdade, muitas vezes a compreensão dessa verdade é prejudicada pela visão distorcida que se tem das bênçãos, limitando-as ao plano material: "Não peque porque você pode perder o emprego", "Não peque porque você vai adiar a benção de Deus", "Se você obedecer você vai se dar bem, se não obedecer vai se dar mal". É incontestável que a obediência e a desobediência tem conseqüências; é a lei da semeadura (Gálatas 6.7-9). É salutar avaliarmos as conseqüências do que fazemos; faz parte da pedagogia divina nos alertar sobre o que resulta nossa desobediência (1Coríntios 10.1-13). Porém, se obedecemos somente por medo das conseqüências, isto revela imaturidade espiritual.
Por incrível que pareça muitas pessoas só obedecem a Deus e não querem o pecado em suas vidas por medo de Deus. Quantas pessoas foram e são criadas escutando frases do tipo: "Se você fizer isto Deus vai te castigar!", "Se você não obedecer vai para o Inferno!". Como costuma dizer o Pr. Ezequiel Teixeira para muitos cristãos Deus é um xerife, fiscalizando implacavelmente cada ato da vida de seus filhos para que possa aplicar-lhes a devida penalidade. Quem pode viver em paz se a qualquer momento um "raio divino" pode cair em sua cabeça?
O medo da opinião dos outros. O que as pessoas pensam de nós é importante, pois nos ajuda a avaliarmos a nossa conduta. Porém, se a motivação de obedecermos for somente manter uma aparência, ou temer a opinião pública, ou o medo de sermos excluídos, nossa obediência será falha. Se somente obedecemos na presença de alguém, quem seremos nós quando estivermos sozinhos? "É bom ser zeloso, mas sempre do bem, e não somente quando estou presente convosco",disse Paulo aos gálatas (Gálatas 4.18). O filósofo grego Epicuro (341-270 a.C.) formula um pensamento muito interessante: "O homem que tenha alcançado o fim (propósito) da espécie humana será honesto mesmo que ninguém se encontre presente". Será que existe povo que tenha motivos para dizer que alcançou o sentido da vida melhor do que os cristãos? Não cremos e cantamos que nossa vida é Cristo e que temos que viver para Deus?
Então qual deve ser a raiz da nossa obediência? Qual deve ser o verdadeiro motivo que nos leva a não pecar?
Tanto o Antigo quanto o Novo Testamento resumem a obediência a Deus em um só mandamento: o de amar a Deus acima de todas as coisas. Jesus disse que nosso amor por ele é medido pela guarda de seus mandamentos (João 14.21). Portanto, é o amor a Deus que deve ser a raiz da nossa obediência. Quando me defrontar com o pecado, devo não ceder não por medo do Diabo, dos homens, ou mesmo de Deus, e sim por amor a ele; por entender que quando peco eu o ofendo, eu o entristeço, eu o ultrajo; o pecado pode me afastar de Deus, e por amá-lo não vou pecar, pois isto me afasta dele. Não devemos pecar por medo, pois o perfeito amor lança fora todo medo: "No amor não há medo. Antes o perfeito amor lança fora o medo, porque o medo produz tormento. Aquele que teme não é aperfeiçoado em amor" (1João 4.18). E se tivermos que temer alguma coisa que seja o vivermos longe da presença de Deus.
Amado, que eu e você venhamos amadurecer em amor a Deus e assim viveremos uma vida reta, santa, que agrade a Deus.
Graça e Paz.
Joalsemar Araújo